quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

500 Days of Summer



Com certeza essa é uma das melhores comédias 'românticas' de 2009, se não for a melhor. Não é uma história de amor, acho que é a história da falta dele... Ou da confusão que o amor causa.
No filme Tom Hansen vivido por Joseph Gordon-Levitt se apaixona por Summer Finn vivida pela maravilhosa Zooey Deschanel, que admiro tanto por seu estilo e personalidade! By the way... Joseph Gordon-Levitt está muitoooo parecido com o falecido Heath Ledger. Desde o filme Ten Things I hate about you (1999) que a propósito ele contracenou com Ledger, eu nunca tinha o visto fazer um papel que chamasse atenção como esse.
Ele está parecido não só fisicamente, como atuando. É incrível, como me lembrei dele.

O filme fala sobre a ingenuidade masculina, derivada de valores mal resolvidos durante a infância e que deixaram seqüelas em sua vida. Tom é apaixonado, inseguro e obcecado, por ela, enquanto Summer, é, independente, segura, divertida,espontânea, insensível... (Só é insensível na verdade, do ponto de vista 'Homem retardado', ela sempre disse que não queria um relacionamento sério). E quando ela termina com ele o mundo dele acaba. Summer effect!
O filme é uma grande lição de vida na verdade, sobre o amor, destino, whatever...
Mas ela não acredita no amor. Eu a achei fascinante, forte... Me fez pensar...
Eu já escrevi aqui como o nosso comportamento é previsível, mas o que a difere, é que ela sabe, e age de acordo com isso... e não tem medo de enfrentar algo novo e emocionante.
Summer revela não ter namorado porque ela simplesmente não quer, porque ela curte ser livre e independente. E não se sente à vontade sendo de alguém...
Ela explica que gosta de ser sozinha, porque relacionamentos são complicados e as pessas se machucam, e pergunta... "...Quem precisa disso? Somos jovens, moramos em uma das mais belas cidades do mundo. Vamos nos divertir enquanto podemos e guardar as coisas sérias para mais tarde."
E daí o questionamento... E se ela se apaixonar? Não há como, porque pra ela o amor é uma fantasia.
Mas ele mesmo assim se deixa levar... E ela é claro que não está nem ai. E o beija, e o leva para fazer coisas de casal, como cinema, jantar, passeios, cama.
Resumindo, ela o ilude. E eles se divertem juntos... Até o 282º dia. Onde ela começa a se cansar. E o que era divertido... O que era bonito, perde o encanto. Real é que Summer (shit), gosta de ser feliz, então ela não quer saber do que acontece, contanto que ela esteja feliz... E Tom, já vê as coisas diferentes, ele quer algo sólido, uma namorada, um amor. E não como ela "Apenas Amigos"
Eles são dois extremos. Nenhuma garota quer alguém como ele, acho... Obscecado, esquentadinho, (o que nenhuma guria no mundo tolera)...



Quem dirige 500 Days of Summer é o diretor estreante em longas, Marc Webb usa sua experiência em contar histórias curtas em videoclipes. Ele pega os dezesseis meses da história de Tom e Summer e os recorta, apresentando-os de maneira não linear. Por isso o filme ficou diferente, e inesperado! Momentos bons, ruins e comuns alternam-se agrupados por eventos, mostrados pela perspectiva de Tom.
O filme têm um excelenteeeeeeee 'soundtrack', o público alternativo que gosta de rock e coisas vintage vão adorar as bandas e músicas que o filme apresenta. Como The Smiths, Hall e Oates, Bruce Springsteen, Pixies, etc.
Uma cena criativa do filme, foi a tela dividida separando a "Realidade" e "Expectativa" de Tom. E ocorre diferente a realidade do que ele esperava realmente.
Como ocorre na nossa vida todos os dias.

Enfim... Mais do que uma maneira divertida, criativa e inteligente de contar uma história que de outra forma pareceria convencional, 500 Dias Com Ela tem uma visão absolutamente honesta, ainda que um tanto tragicômica, do amor. Algo que a frase inicial do filme já escancara: "O filme a seguir é uma história de ficção. Qualquer semelhança com pessoas vivas ou mortas é mera coincidência. Especialmente você Jenny Beckman. Vaca". Sensibilidade romântica mais contemporânea, impossível."
Assistam!
Ai esta um audio de Joseph cantando Here comes your man. Afinadissimo!.

3 comentários: